Care-Assistência-24hs Care Assistência 24hs

(31) 2519-0600

Dicas e novidades no

Blog da Care

Categorias: Aconteceu na Care

Como orientar seu associado para diminuir o número de acionamentos da assistência

Reduzir o número de acionamentos da assistência 24h é uma medida positiva tanto para a associação quanto para seus associados. Menos acionamentos são sinônimo de um número menor de ocorrências imprevistas, o que significa menos gastos para a associação e mais segurança para quem está ao volante. 

Sabemos que não é possível prever ou evitar todos os tipos de sinistros, mas existem alguns cuidados que os proprietários dos veículos podem tomar para reduzir as chances de acidentes ou falhas mecânicas acontecerem. 

Se você concorda que prevenir é melhor que remediar, este artigo é para você. Reunimos informações valiosas que você pode transmitir aos seus clientes para reduzir o número de acionamentos da assistência 24h!

O que é possível fazer para reduzir a sinistralidade?

A sinistralidade é o índice de ocorrência de sinistros, ou seja, de acidentes ou outros tipos de ocorrências imprevistas que serão cobertas pela assistência. Existem algumas atitudes que, quando tomadas pelos condutores e proprietários dos veículos, podem ajudar a reduzir as chances desses sinistros acontecerem. 

É importante orientar proprietários e motoristas sobre práticas de direção segura, de manutenção e revisão do veículo, conforme veremos a seguir:

Direção segura

A primeira dica para evitar acidentes na hora de conduzir um veículo é nunca utilizar o celular enquanto está dirigindo, nem mesmo quando o veículo estiver parado no sinal vermelho

Apesar do uso do celular ao volante ser proibido pelo Código de Trânsito Brasileiro (classificado como infração gravíssima, com multa de R$ 283,47 e perda de 7 pontos na CNH), essa prática ainda é a terceira maior causa de fatalidades no trânsito no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet). 

De acordo com o Detran, enviar uma mensagem de texto enquanto dirige faz com que o motorista aumente até 23 vezes a chance de causar ou se envolver em um acidente. Em chamadas de voz, a atenção e a capacidade de reflexo caem 37%. Mesmo assim, cerca de 20% dos motoristas brasileiros já assumiram usar o celular no trânsito. Por isso, vale reforçar, sempre que possível: celular no trânsito deve estar, sempre, desligado.

A segunda dica de direção segura é manter distância do carro à frente. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais é uma infração grave, punida com 5 pontos na carteira e uma multa de R$ 195,23. 

A falta da distância de segurança foi a segunda principal causa para acidentes de trânsito no Brasil em 2017, segundo o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro. Para saber qual distância manter do carro à frente, considera-se o cálculo do espaço ocupado por um carro para cada 20 km/h. Isso quer dizer, por exemplo, que se o condutor está trafegando a 60 km/h, deve dar uma distância de cerca de três carros entre o seu veículo e o da frente. 

Vale também observar a distância que certas velocidades exigem para que se reaja ou freie antes de acontecer um acidente, conforme o infográfico abaixo:

Revisão do veículo

Fazer revisões no veículo regularmente é um conselho bastante popular. Mesmo assim, há quem negligencie esse hábito e acabe pagando o preço depois, quando alguma peça apresenta um problema inesperado. É por isso que manter as revisões em dia é importante para evitar sinistros. Mas você sabe quando fazer a revisão e quais são os itens que precisam ser checados?

O ideal é que se faça uma revisão a cada 10 mil quilômetros rodados com o veículo. Os principais itens a serem observados são:

  • Óleo do motor 
  • Filtro de combustível 
  • Filtros de ar e do ar-condicionado 
  • Luzes e sistema elétrico
  • Pneus
  • Água do radiador
  • Freios
  • Alinhamento

É por meio das revisões regulares, principalmente, que o proprietário do veículo saberá quando é necessário fazer alguma manutenção por meio da troca de uma ou mais peças. 

Manutenção do veículo

Motoristas não costumam ter o hábito de ler o manual de instruções quando adquirem um novo veículo. No entanto, esse hábito é muito importante para saber quais as especificidades exigidas por cada carro na hora de fazer revisões e manutenções. 

No manual, você vai encontrar orientações a respeito de peças que precisam ser trocadas periodicamente para garantir o funcionamento seguro do carro. Existem alguns itens que costumam ter a troca obrigatória e outros que têm a troca recomendada dependendo do nível de uso. 

Nada substitui a leitura do manual e a orientação dos mecânicos responsáveis pelas as revisões do carro, mas, reunimos abaixo dicas gerais de quando trocar os principais equipamentos:

  • Correias (dentada, do alternador, do compressor de ar e da bomba d’água): trocar entre os 40 e 100 mil quilômetros rodados (média de 60 mil).
  • Filtros (de óleo e de ar): trocar toda vez que trocar o óleo.
  • Óleo do freio: a cada seis meses ou um ano.
  • Óleo lubrificante: a cada 5 mil a 15 mil quilômetros rodados. 
  • Pneus: a cada cinco anos, ou quando estiverem carecas.
  • Líquido de arrefecimento: a cada dois anos. 

Itens como buzina, cintos, embreagem, estepe, óleo de freio e de direção hidráulica, limpadores de parabrisa, luzes, sistemas de freios e suspensão devem ser substituídos quando for observada a necessidade.

Estas são algumas dicas que podem te ajudar a reduzir a sinistralidade entre os seus associados. Recomendamos que você repasse as instruções para seus clientes e mantenha, sempre, uma comunicação frequente com eles. Uma outra dica interessante pode ser transformar as instruções acima em conteúdos para as suas redes sociais. Se você quer saber mais sobre como o marketing de conteúdo pode ser útil para associações, confira este outro artigo. 

Compartilhe:
×